Imagine, desenvolva e realize: o empreendedor e suas virtudes

terça-feira, 30 de maio de 2017
Por Fábio Duran



Louis Jacques Filion, PhD em empreendedorismo e professor da escola de negócios HEC Montreal, no Canadá, diz de forma bem concisa o que é um empreendedor: “uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões”.

Observando uma necessidade, falha ou até mesmo um problema, o empreendedor o transforma em oportunidade, e muitas vezes criando algo que ainda não existe. Por meio da imaginação ele cria e analisa a viabilidade da ideia, determinando se irá torná-la real. E esta é uma característica importante: a determinação. Em entrevista ao canal Saber Filosófico, Mário Sérgio Cortela define o empreendedor como “alguém que recusa conformidades”, ou seja, que não se limita vai atrás ao invés de aguardar. “Quem sabe faz a hora, não espera acontecer”, rememora a música de Geraldo Vandré.

Cortela também fala sobre a valor da humildade para o empreendedor, da constante aprendizagem como enriquecimento das suas capacidades. E distingue: “A humildade é diferente de subserviência, subserviente é aquele que se enfraquece e uma pessoa humilde é aquela que sabe que há coisas que ela ainda não sabe, há coisas que ela pode saber e outras que ela precisa e saberá procurá-las. Por isso um empreendedor que não tiver a humildade como uma de suas qualidades ele deixará de sê-lo em breve”.

Qualidades empreendedoras são pouco estimuladas nas escolas, e a conformidade é uma característica que limita a criatividade. É o desconforto com algo que provoca e pode trazer ideias capazes de transformar algo. “O sistema educacional é muito trabalhando em cima da conformidade, os estudantes devem se conformar, mas o programa empreendedor deve libertar o potencial para a criatividade, porque o que é essencial sobre o empreendedor é que ele deve criar um sistema de atividades que ainda não existe”, afirmou Louis Filion em entrevista ao Sebrae-SP, e reforçando a importância do conhecimento teórico aliado a prática no desenvolvimento de ideias.

Na história temos empreendedores que dispensam apresentações, como Henry Ford e Bill Gates, que reinventaram com as suas máquinas o dia a dia da sociedade. No Brasil destacam-se o apresentador Silvio Santos e o industrial Antonio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim. Mas o empreendedorismo não está tão distante das pessoas como parece. Na região de Sorocaba, interior de São Paulo, destacam-se Alessandra França, criadora do Banco Pérola de microcrédito; e os irmãos José Vicente e Carlos Alberto de Souza, fundadores da Padaria Real.

Para ser um empreendedor é necessário observar as necessidades locais e desprender-se de limitações que possam aparecer. Até porque as limitações podem ser uma oportunidade de sucesso. A principal virtude de um empreendedor é fomentar empreendimentos novos ou que solucionem problemas locais que não dão atenção ou nem foram percebidas.

No próximo artigo abordarei os empreendedores que criaram soluções para resolver alguma necessidade. No qual a observação, o incômodo e a criatividade são palavras chaves.
Tecnologia do Blogger.